Compilação de Corpos Comparáveis Especializados: Devemos sempre confiar nas Ferramentas de Compilação Semi-automáticas?

  • Hernani Costa
  • Isabel Dúran Muñoz University of Malaga
  • Gloria Corpas Pastor University of Malaga
  • Ruslan Mitkov Universidade de Wolverhampton

Resumo

Decisões tomadas anteriormente à compilação de um corpo comparável têm um grande impacto na forma em que este será posteriormente construído e analisado. Diversas variáveis e critérios externos são normalmente seguidos na construção de um corpo, mas pouco se tem investigado sobre a sua distribuição de similaridade textual interna ou nas suas vantagens qualitativas para a investigação.

Numa tentativa de preencher esta lacuna, este artigo tem como objetivo apresentar uma metodologia simples, contudo eficiente, capaz de medir o grau de similaridade interno de um corpo. Para isso, a metodologia proposta usa diversas técnicas de processamento de linguagem natural e vários métodos estatísticos, numa tentativa bem sucedida de avaliar o grau de similaridade entre documentos. Os nossos resultados demonstram que a utilização de uma lista de entidades comuns e um conjunto de medidas de similaridade distribucional são suficientes, não só para descrever e avaliar o grau de similaridade entre os documentos num corpo comparável, mas também para os classificar de acordo com seu grau de semelhança e, consequentemente, melhorar a qualidade do corpos através da eliminação de documentos irrelevantes.

Publicado
2016-07-22
Como Citar
Costa, H., Dúran Muñoz, I., Corpas Pastor, G., & Mitkov, R. (2016). Compilação de Corpos Comparáveis Especializados: Devemos sempre confiar nas Ferramentas de Compilação Semi-automáticas?. Linguamática, 8(1), 3-19. Obtido de http://www.linguamatica.com/index.php/linguamatica/article/view/v8n1-1
Edição
Secção
Artigos de Investigação